17
Qua, Janeiro

Reforma trabalhista de Temer faz trabalhador acidentado ter que pagar R$ 20 mil à empresa

Foi divulgada decisão de uma juíza da 5ª Vara do Trabalho de Canoas (RS) que condenou um trabalhador que sofreu acidente a caminho do trabalho a pagar R$20 mil em honorários à empresa que ele entrou com processo.
 
O caso em questão ocorreu em 2011. O almoxarife, que não teve o nome divulgado, se viu obrigado a ir trabalhar de moto pois o ônibus fretado da empresa, que deveria levá-lo ao trabalho, não passou no local combinado. No trajeto, o trabalhador sofreu acidente ao ser atingido por um carro. Ele ficou afastado durante alguns meses com inúmeras sequelas e limitações, que continuaram até ele ser demitido, quatro anos depois.
 
Logo que foi demitido, o almoxarife entrou com processo trabalhista por pensão vitalícia por acreditar que seus empregadores eram responsáveis pelo ocorrido.
 
A decisão da juíza que rejeitou indenização e condenou o trabalhador a pagar R$ 20 mil à empresa teve como base as novas regras da reforma trabalhista do governo Temer (PMDB), que entrou em vigor em novembro. Pela nova legislação, o trabalhador condenado em processo trabalhista deve pagar ao advogado da empresa vencedora percentual de 5% a 15%, definido pelo juiz, para cobrir os gastos com advogados. O advogado do trabalhador acidentado informou que recorrerá da decisão.

 

Fonte: Revista Fórum