14
Qui, Dezembro

Temer quer votar reforma da Previdência, mas deputados têm medo de não se reelegerem

Com medo de não se reelegerem e preocupados com desagrado da população, muitos deputados e deputadas não se decidiram ainda pelo apoio ou não à Reforma da Previdência de Temer. Segundo o jornal Folha de São Paulo desta sexta (24), o cenário ainda é bem pessimista em relação ao tema, mesmo depois de um jantar oferecido pelo ilegítimo Michel Temer para quase 300 parlamentares. A CUT e outras centrais já avisaram: “Se botar pra votar, o Brasil vai parar”.

“Ele esquece que a classe trabalhadora está em estado de alerta e que, se tentar acabar com a aposentadoria, vamos parar o Brasil e denunciar todos os deputados e senadores que traírem os  trabalhadores e as trabalhadoras brasileiras. Em 2018, podem ter certeza, muitos vestirão o pijama se ousarem mexer na Previdência”, destacou o presidente da CUT, Vagner Freitas.

No jantar, Temer apresentou uma nova proposta de Reforma da Previdência.

“Temer voltou atrás e apresentou essa nova versão, além de fazer propagandas na televisão e nas redes sociais dizendo que a reforma é para cortar privilégios ele esqueceu de dizer que se aposentou aos 55 anos e recebe mais de R$ 30 mil por mês de aposentadoria do Ministério Público de São Paulo”, destacou o presidente da CUT, Vagner Freitas.

O governo ilegítimo tem dado sinais de que pretende votar essa reforma da Previdência ainda este ano, possivelmente no dia 6 de dezembro. Mas o ilegítimo Temer não tem, hoje, os 308 votos necessários para aprovar a reforma na Câmara.

Na terça-feira (22), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou que o governo não tem número suficiente para aprovar a reforma. “Está longe”, disse ele. Isso porque Temer modificou pontos antipopulares da Reforma, como aposentadoria dos rurais e idade mínima, por exemplo, para convencê-los. Além disso investiu forte em campanhas publicitárias em TV, rádio e redes sociais.

A secretária de Relações do Trabalho da CUT, Graça Costa disse que Temer e seus aliados estão fazendo manobra para enganar o povo e pagar a conta com os empresários, no qual prometeu as reformas para continuar no poder.

“O governo tira alguns pontos agora para aprovar a PEC 287, mas a ideia é que depois por MP, PEC ou mesmo Projeto de Lei,  inclusive já há projetos tramitando no Congresso Nacional, relocará esses pontos, como o fim da aposentadoria rural, por exemplo. Enganação total que vai fazer o trabalhador pagar um castigo muito grande”, denuncia Graça.

Alguns destaques da proposta de Temer para a Previdência

  Como é hoje Proposta de Temer
Idade mínima de aposentadoria 65 para homens e 60 mulheres 62 anos para mulheres e 65 anos para homens (valendo daqui a 20 anos, aumentando progressivamente conforme elevação da expectativa de vida da populaçao)
Aposentadoria integral Fator previdenciário ou a formula 85/95 40 anos de contribuição
Servidores públicos Têm um regime exclusivo de Previdência, separado dos trabalhadores públicos Passa a ter as mesmas regras do setor privado

 

 

 

Fonte: Erica Aragão – CUT Nacional